Pornografia será agora castigada com pena de morte no Irã

Baseada na ´sharia´, lei foi aprovada quase por unanimidade no Parlamento

Agencia Estado

18 Junho 2007 | 11h59

Os crimes relacionados à pornografia serão punidos a partir de agora no Irã com a pena de morte, segundo uma lei aprovada nesta quarta-feira, 13, pelo Parlamento iraniano. A lei foi aprovada com 148 votos a favor, 5 contra e 4 abstenções, e agora precisará da aprovação do Conselho dos Guardiães para entrar em vigor, segundo a agência iraniana Irna. Os envolvidos na produção de pornografia serão considerados "corruptos na terra", um termo islâmico extraído do Corão e que a lei iraniana, inspirada na "sharia" (lei islâmica), penaliza com a pena de morte desde 1979. A partir de agora, serão "corruptos na terra" os diretores (de cinema), os câmeras e os atores que participarem dos filmes ou sessões de fotos "cujo conteúdo consiste em expor a nudez do homem e da mulher enquanto mantêm relações sexuais". Além disso, os crimes relacionados à pornografia serão processados pelos tribunais revolucionários, particularmente severos em questões de moral. Apesar da repressão sexual existente no país desde o triunfo da Revolução Islâmica, é relativamente fácil encontrar produtos pornográficos vendidos ilegalmente nas ruas, pelo menos em Teerã.

Mais conteúdo sobre:
Irã pornografia lei Corão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.