Porta-voz de Putin defende a prisão de manifestantes

O porta-voz de Vladimir Putin, Dmitry Peskov, defendeu a prisão de centenas de manifestantes que protestavam contra a eleição que colocou novamente no poder o líder autocrático, dizendo que a polícia foi profissional e efetiva.

AE, Agência Estado

06 de março de 2012 | 13h03

A polícia prendeu na noite de segunda-feira manifestantes que permaneciam na praça Pushkin, em Moscou, após o término de um evento aprovado oficialmente. Entre os detidos estão algumas figuras-chave dos protestos que ocorreram no fim do ano passado.

Peskov afirmou nesta terça-feira à agência de notícias RIA Novosti que "a ação da oposição ocorreu em duas partes - uma legal e a outra ilegal. E em ambas as partes, a polícia demonstrou alto grau de profissionalismo, legitimidade e eficácia.

O porta-voz da polícia de Moscou, Gennady Bogachev, disse nesta terça-feira que as cerca de 250 pessoas presas no dia anterior foram liberadas. A maioria delas vai enfrentar processos civis com pena máxima de multa de US$ 65.

Putin, que se tornou primeiro-ministro desde a saída da presidência, em 2008, venceu a eleição no domingo com mais de 63% dos votos, de acordo com números oficiais. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiaeleiçãoprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.