Charles Dharapak/AP
Charles Dharapak/AP

Porta-voz do Departamento de Estado dos EUA renuncia após polêmica

Philip Crowley havia criticado o Pentágono pelas condições da detenção de suspeito do WikiLeaks

Efe e Reuters

13 de março de 2011 | 15h44

WASHINGTON - O porta-voz do Departamento de Estado americano, Philip Crowley, renunciou neste domingo, 13, após as polêmicas declarações em que criticou o Pentágono pelas condições de detenção do soldado Bradley Manning, suspeito de ter divulgado milhares de documentos confidenciais dos EUA ao site WikiLeaks.

 

"Dado o impacto que tiveram minhas declarações, pelas quais assumo plenamente minha responsabilidade, apresentei minha renúncia", disse em comunicado Crowley, quem qualificou esta semana o tratamento que o Departamento de Defesa dá a Manning como "ridículo" e "estúpido".

 

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, confirmou a saída de Crowley de sua equipe. "É com pesar que eu aceito a renúncia de Philip J. Crowley como secretário-adjunto de Estado para Assuntos Públicos", disse.

 

"Meus comentários recentes sobre as condições da detenção do soldado Bradley Manning tinham o objetivo de destacar o impacto das ações tomadas diariamente por nossas agências se segurança e seu impacto em nosso posicionamento e liderança globais", disse.

 

Crowley era porta-voz do Departamento de Estado desde maio de 2009. Antes, ele havia trabalhado no Departamento de Defesa. Veterano da Guerra do Golfo, ele serviu na Força Aérea por 26 anos e se aposentou como coronel em setembro de 1999.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.