Porta-voz do Taleban é preso no Paquistão

Outros 4 insurgentes foram detidos no primeiro grande revés da liderança do grupo na região norte do país

Reuters e Associated Press,

11 de setembro de 2009 | 09h32

Soldados paquistaneses detiveram um porta-voz do Taleban no Vale do Swat e outros quatro comandantes do grupo, anunciaram nesta sexta-feira, 11 os militares. Foi o primeiro grande revés da liderança do grupo insurgente na região, outrora um paraíso turístico.

 

A prisão de Muslim Khan representa mais um golpe para o Taleban paquistanês, cujo líder Baitullah Mehsud foi morto em agosto na região do Waziristão do Sul. O Exército não informou quando ocorreram as prisões. Um comunicado do Exército afirma que, além do porta-voz do Taleban no Swat, os comandantes Mahmood Khan, Fazle Ghaffar, Abdul Rehman e Sartaj Ali foram detidos nos subúrbios de Mingora, principal cidade da zona. Khan, que viveu vários anos nos EUA, frequentemente ligava para a imprensa para reivindicar ataques.

 

Um jornal local citou um militante, segundo o qual os homens estariam envolvidos em conversas de paz secretas com o Exército, quando foram capturados. Os militares e o Ministério de Interior negaram essa versão.

 

O anúncio, no oitavo aniversário dos atentados de 11 de setembro de 2001, deve ser elogiado pelos Estados Unidos, que exortam o Paquistão a combater os militantes no país. O Exército lançou uma ofensiva no Swat em maio, após dois anos de domínio do Taleban na área, próxima da fronteira com o Afeganistão.

 

Os militares afirmam ter matado mais de 1.800 insurgentes nessas operações. Porém o fracasso na captura de líderes gera temores de que os militantes possam iniciar uma reação.

 

Uma série de avanços e ataques do Taleban neste ano gerou medo sobre o futuro do Paquistão, um país com armas nucleares, e alarmou o aliado EUA, que chegou a sugerir que o governo do país estaria "abdicando" em favor dos militantes. Mas a ofensiva do Swat, lançada no final de abril, e ataques contra redutos do Taleban na fronteira com o Afeganistão, inclusive em redutos como o Waziristão do Sul, tranquilizaram Washington quanto ao comprometimento paquistanês na luta contra a militância islâmica na região.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoTaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.