Porta-voz do Taleban nega morte de líder no Paquistão

Um porta-voz do Taleban disse que o líder do Tehrik-i-Taleban Paquistanês, Baitullah Mehsud, não morreu no ataque por mísseis das forças contra o terrorismo no Paquistão. A declaração contradiz a informação de um militante do Taleban ontem de que Mehsud foi morto na ofensiva. A declaração deste sábado pode ser uma manobra tática para evitar deserções e adiar a decisão de escolher um novo líder.

AE-AP, Agencia Estado

08 de agosto de 2009 | 12h01

Oficiais paquistaneses da inteligência disseram hoje que o ataque feito por mísseis que supostamente matou o líder do Taleban no Paquistão teve ajuda de Islamabad, indicando crescente coordenação entre os dois países, apesar da desaprovação oficial do Paquistão ao ataque.

O vice-líder do Taleban no Paquistão, Hakimullah, e o porta-voz do grupo, Maulvi Umar, disseram separadamente a repórteres da Associated Press que Mehsud estava vivo, acrescentando que evidências disso aparecerão nos próximos dias. A informação de sua morte apenas é para "desencorajar e destruir o moral do Taleban", disse Umar. Segundo ele, Mehsud está com seus soldados e não está sequer ferido. Mehsud não deverá aparecer nos próximos dias porque é um alvo, acrescentou.

Hakimullah é um dos prováveis sucessores de Mehsud, caso esteja morto. Entretanto, os agentes de inteligência disseram que outro aliado de Mehsud deve assumir o posto, Waliur Rehman. Quando perguntado se Mehsud poderia ligar para a AP, Hakimullah disse que não seria possível no momento. Ele se calou quando perguntado o motivo de não ter negado a morte de Mehsud antes. Um ajudante de Mehsud, Kafayat Ullah, disse à AP ontem que Mehsud foi morto com uma de suas duas esposas no Waziristan do Sul.

Tudo o que sabemos sobre:
Talebanlíder

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.