Porto Rico expõe desafio de Obama entre hispânicos

Enquanto a disputa pela candidaturademocrata à Casa Branca vai chegando ao final, a ampla vitóriade Hillary Clinton em Porto Rico expõe as dificuldades de seurival Barack Obama na disputa pelo voto hispânico. Hillary teve dois terços dos votos na ilha, confirmando suapopularidade entre os hispânicos, o eleitorado que mais crescenos EUA. Segundo estimativa do jornal The Washington Post,nesses cinco meses de disputa Hillary conseguiu 61 por centodos votos hispânicos, contra 35 para Obama. Em Estados como Flórida, Novo México, Arizona e Colorado,os hispânicos representam uma parcela decisiva do eleitorado, epor isso Obama terá de conquistá-los caso seja indicado paradisputar a eleição de novembro contra o republicano JohnMcCain. "Ele terá de definir melhor sua visão sobre a economia ecomo melhorar a situação do emprego, das pensões e da educaçãopara os hispânicos, os afro-descendentes e os mais pobres,aqueles que não são das elites", disse à Reuters o analistaEthan Siegal, do The Washington Exchange, que monitora temaspolíticos para investidores na capital norte-americana. A disputa democrata termina na terça-feira, com asprimárias de Dakota do Sul e Montana. Obama está a cerca de 40delegados dos 2.118 necessários para conquistar a indicação. Além dos hispânicos, Hillary tem a preferência também dasmulheres e dos eleitores brancos mais pobres. Larry Sabato, diretor do Centro para a Política daUniversidade da Virgínia, disse que Obama deveria procurar umcompanheiro de chapa com apelo junto ao eleitorado latino, comoo governador do Novo México, Bill Richardson, que já declarouapoio ao senador. Richardson teria a vantagem também de dar peso à chapa emquestões de política externa, pois já foi negociador deconflitos e embaixador dos EUA nas Nações Unidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.