AP Photo/Armando Franca
AP Photo/Armando Franca

Portugal compra 3 milhões de vacinas para doá-las a ex-colônias da África e Ásia

As primeiras 200 mil doses do imunizante da AstraZeneca chegaram da Hungria nesta terça-feira, 27

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2021 | 16h01

LISBOA - O governo de Portugal deu início à compra de 3 milhões de vacinas contra a covid-19 de países europeus para enviá-las a suas ex-colônias na África e na Ásia. As primeiras 200 mil injeções da AstraZeneca chegaram da Hungria nesta terça-feira, 27. Serão beneficiados Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Em paralelo, o país, gravemente afetado pela variante delta do vírus, pretende ampliar a vacinação. 

As doses foram entregues pelo chanceler húngaro Peter Szijarto em uma cerimônia na base aérea de Lisboa. Com um excedente de vacinas, já que comprou vacinas russas e chinesas além das oferecidas pela UE, a Hungria optou por vender as doses a Portugal.

Com cerca de 1% da população continental imunizada contra a covid-19, a África tornou-se um ponto de preocupação no combate à pandemia. A variante delta já se espalha pelo país e preocupa a Organização Mundial de Saúde (OMS). 

Com 400 casos de covid-19 a cada 100 mil habitantes, Portugal se aproxima do platô de casos na onda atual de contágio, segundo epidemiologistas locais. As áreas mais afetadas são a capital, Lisboa, e a região turística do Algarve. O número de internados tem subido nos últimos dias .

Apesar disso, o governo português pretende aliviar as restrições nos próximos dias. 45% da população lusitana está imunizada contra o novo cornavírus. A variante delta responde a 99% dos casos no país. O objetivo do governo é vacinar 70% da população de 10 milhões de habitantes até o mês que vem. /AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.