Antonio Pedro Santos/EFE
Antonio Pedro Santos/EFE

Portugal diz que atingiu auge do contágio por coronavírus

Segundo ministra da Saúde, a curto ou médio prazo não haverá retorno à normalidade, até que seja descoberta uma vacina que permita a prevenção da doença

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2020 | 12h00

LISBOA - A Ministra da Saúde de Portugal, Marta Temido, declarou que o pico da incidência da covid-19 no país ocorreu entre 23 e 25 de março, enquanto o número de casos infectados permaneceu estável depois disso.

De acordo com o último relatório, publicado neste sábado, Portugal tem 687 mortes pela doença, 30 delas ocorridas nas últimas 24 horas, e 19.685 casos do novo coronavírus, 663 deles registrados de ontem para hoje.

Dada a estabilidade do número de infectados, a ministra antecipou em entrevista coletiva o propósito de recuperar gradualmente a normalidade nos hospitais, especialmente naqueles onde não houve internação de pacientes com covid-19, a fim de recuperar consultas e cirurgias que foram adiadas devido à pandemia.

A ministra destacou que a curto ou médio prazo não haverá retorno à normalidade, até que seja descoberta uma vacina que permita a prevenção da doença. Nesse sentido, previu que haverá períodos alternados de maior ou menor contenção dos movimentos sociais.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

O primeiro-ministro lusitano, António Costa, disse em entrevista publicada hoje pelo jornal Expresso que, a partir de 2 de maio, Portugal vai tratar da progressiva recuperação da atividade do país. "Reanimar sem perder o controle. O vírus não hiberna no verão", afirmou. /EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Portugal [Europa]coronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.