Portugal e França afirmam preocupação com Ucrânia

Representantes dos governos português e francês reforçaram o tom de preocupação dos líderes europeus com a situação da Crimeia, república autônoma da Ucrânia. O secretário de Estado para Europa de Portugal, Bruno Macaes, disse que o país está "muito preocupado com os últimos desenvolvimentos" e destacou que a Rússia deve respeitar a integridade territorial da Ucrânia.

Agência Estado

01 de março de 2014 | 12h34

A França está "profundamente preocupada com as informações vinda da Crimeia de uma movimentação significativa de forças armadas na região", afirmou o ministro de Relações Exteriores do país, Laurent Fabius. Segundo o ministro, os diplomatas franceses estão em constante contato com as autoridades ucranianas e russa para discutir a crise. No entanto, Fabius não comentou se Moscou teria realmente enviado tropas ao país vizinho.

Na manhã deste sábado, o ministro de Defesa da Ucrânia acusou a Rússia de ter enviado, ainda na sexta-feira (28), tropas para a região da Crimeia. Ao todo, 6 mil soldados russos estariam na península.

Há pouco, o gabinete de imprensa do presidente Vladimir Putin confirmou que o líder russo solicitou formalmente a aprovação parlamentar para o uso de forças militares na Ucrânia.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaPortugalFrançaCrimeia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.