Clara Azevedo/Portuguese Prime Minister Office via REUTERS
Clara Azevedo/Portuguese Prime Minister Office via REUTERS

Portugal encerra suspensão de voos com o Brasil

Apesar da mudança, estão autorizadas apenas 'viagens essenciais' - por motivos profissionais, de estudo, reunião familiar, razões de saúde ou humanitárias; medida também vale para o Reino Unido

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2021 | 11h58

LISBOA - Portugal decidiu encerrar a suspensão de voos com o Brasil e com o Reino Unido que vigorava desde o final de janeiro, mas apenas as "viagens essenciais" serão autorizadas, anunciou o ministério do Interior em comunicado nesta sexta-feira, 16.

São consideradas viagens essenciais aquelas feitas "por motivos profissionais, estudos, reunião familiar, por razões de saúde ou por razões humanitárias", explicou o ministério.

Depois de ser atingido por uma violenta onda da pandemia do novo coronavírus no início do ano, o país ibérico se prepara para entrar na terceira fase de um plano de desconfinamento gradual na segunda-feira, 19, segundo anuncio do primeiro-ministro António Costa.

Os controles na fronteira com a Espanha permanecerão por pelo menos 15 dias a mais, assim como a obrigação de que todos os visitantes apresentem teste negativo de covid-19 ou respeitem uma quarentena, explicou o primeiro-ministro.

Portugal continuará exigindo que os viajantes procedentes de países com uma taxa de incidência de coronavírus superior a 500 casos para cada 100.000 habitantes cumpram uma quarentena de 14 dias em sua chegada. Entre estes países estão Brasil, África do Sul, França e Holanda.

Além disso, a partir de países com taxa de incidência superior a 150 casos para cada 100.000 habitantes - como Espanha, Alemanha ou Itália - serão permitidas apenas viagens consideradas "essenciais".

Com exceção de uma dezena de municípios, Portugal prosseguirá com o plano de desconfinamento de acordo com o previsto. Na segunda-feira reabrirão as portas restaurantes, centros comerciais, casas de espetáculo, escolas do ensino médio e universidades.

Esta é a nova etapa de um plano de flexibilização gradual das restrições de saúde que começou em meados de março, depois de dois meses de confinamento geral para frear a terceira onda da pandemia.

Em Portugal são detectados quase 500 novos casos de covid-19 por dia, número muito inferior aos 13.000 do fim de janeiro./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.