Rafael Marchante/REUTERS
Rafael Marchante/REUTERS

Portugal impõe quarentena para quem chega de países de alto risco de contágio, como Brasil

A medida também vale para Reino Unido, África do Sul e países com incidência superior a 500 casos por 100 mil habitantes, como França ou Itália

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de abril de 2021 | 08h39

  

LISBOA - Portugal reforçou os controles nas fronteiras terrestres a partir desta quinta-feira, 1º, com a obrigação de manter a quarentena por 14 dias para viajantes provenientes do Reino Unido, Brasil, África do Sul e países com incidência superior a 500 casos por 100 mil habitantes, como França ou Itália.

A medida vale a partir desta quinta-feira, quando entrou em vigor um novo período de 15 dias de estado de emergência, e vigorará pelo menos até 15 de abril. A fronteira terrestre com Espanha está encerrada desde o fim de janeiro e apenas são permitidos trabalhadores transfronteiriços e transporte de mercadorias, bem como a entrada em Portugal de nacionais ou estrangeiros residentes no país.

Até agora, esses cidadãos não tiveram que passar por nenhuma medida de controle sanitário, mas a partir de hoje são obrigados a entrar em quarentena se vierem de países considerados de alto risco. Para cruzar a fronteira, eles precisam preencher um formulário com seus dados, incluindo o endereço onde vão passar o período de quarentena

A medida também se aplica a viajantes do mesmo grupo de países que chegam de avião. O tráfego aéreo com o Reino Unido e o Brasil continua suspenso e para países com mais de 150 casos por 100 mil habitantes, apenas "viagens essenciais" são permitidas.

Todos os passageiros que cheguem a aeroportos de Portugal devem apresentar, independentemente da sua procedência, o teste PCR para a covid-19 com resultado negativo.

Na prática, os únicos dois países da União Europeia a partir dos quais as viagens não essenciais são permitidas são a Espanha e a Irlanda.

A fronteira terrestre com Espanha, no entanto, vai ser encerrada pelo menos durante a Semana Santa, embora o governo português tenha admitido que poderá ser reaberta após o período de férias, medida que ainda não foi oficialmente confirmada.

Portugal, que soma 16.848 mortes e 821.722 casos desde o início da pandemia, está em processo de definição e o Governo reúne-se esta quinta-feira para decidir se pode avançar para a segunda fase da redução a partir da próxima segunda-feira. /EFE 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.