Portugal: Socialistas pedem revisão de metas de resgate

O líder do Partido Socialista, principal partido de oposição em Portugal, Antonio José Seguro, reafirmou nesta sexta-feira que o país precisa negociar as metas do programa de resgate e centrar foco no futuro se quer sair com sucesso do programa como planejado e com seus partidos unidos.

AE, Agência Estado

12 de julho de 2013 | 10h38

"Há três problemas essenciais: desemprego, dívida e déficit. Esses três problemas graves no nosso país podem apenas ser resolvidos se houver crescimento econômico", disse Antonio José Seguro em um debate no parlamento.

"É por isso que a receita de se concentrar em austeridade e só depois lidar com a economia estava completamente errada." Seguro reafirmou, no entanto, que Portugal precisa cumprir seus compromissos financeiros. "Nós não estamos colocando em questão a austeridade, ou a disciplina necessária em nossas contas públicas", disse.

Seguro, que pediu benefícios fiscais para ajudar a demanda interna, afirmou que as metas de déficits deverão ser ajustadas à economia. Quando ela crescer, o governo deverá então fazer um esforço para cortar o déficit.

Ele afirmou também que os fundos europeus canalizados para investimentos em Portugal durante o programa de resgate não deveriam contar para o déficit. Além disso, ele disse que Portugal precisa estudar a possibilidade de estender alguns dos pagamentos de dívida para o país. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Portugalcrisesocialistasresgatemetas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.