Portugal tem eleições gerais este domingo

Os cerca de 8 milhões de eleitores portugueses devem decidir nas eleições gerais antecipadas de domingo se darão maioria parlamentar à oposição social-democrata (de centro-direita e favorita nas pesquisas) ou se renovam a confiança nos socialistas que detêm o poder. Tanto José Manuel Durão Barroso, líder do opositor Partido Social-Democrata (PSD), quanto Eduardo Ferro Rodrigues, doPartido Socialista, encerraram os comícios pedindo maioria aoeleitorado.Barroso, agitando a bandeira das reformas para reativar a economia desacelerada e manter o país no mesmo nível dos demais parceiros da União Européia (UE). Rodrigues, por sua vez, prometendo corrigir os equívocos do passado que levaram o Partido Socialista a uma humilhante derrota nas eleições municipais de dezembro - causa da realização do pleito de domingo, um ano antes do prazo previsto.No início da campanha eleitoral, o social-democrata Barroso disparou nas sondagens de opinião. Mas, no fim, Rodrigues conseguiu aproximar-se do adversário. Barroso e Rodrigues são apontados como os dirigentes partidários com menos carisma desde a democratização do país em 1974.Ontem, a revista Visão (de Lisboa) dava 41% das intenções de voto aos social-democratas e 36,2% aos socialistas. Já o Jornal de Notícias previa um resultado bem apertado: 37,4% para o PSD e 35,9% para o PS.As demais pequenas agremiações esperam que nenhum dos dois partidos obtenha maioria parlamentar. Isso possibilitaria coligações que resultariam em cargos no governo. O PS, de centro-esquerda, poderia contar com o apoio dos grupos de esquerda, como o Partido Comunista Português (PCP), enquanto o PSD teria a chance de um entendimento com o direitista Partido Popular.As eleições ocorrem em um período difícil. Em 2001, o déficit público atingiu 2,2% do PIB; a inflação chegou a 4,4% (em comparação aos 2,9% do ano anterior); o desemprego ficou em 4% e a economia vive um momento de desaceleração, apesar dos bilhões de dólares de ajuda da UE.Mas não foram apenas esses temas que dominaram a campanha. Os candidatos dedicaram boa parte dos discursos ao futebol, debatendo a construção de oito estádios para a Eurocopa de 2004, que ocorrerá em Portugal.O PSD pode perder votos porque o prefeito do Porto, o social-democrata Rui Rio, cortou recursos para a construção do estádio local, onde ocorreria o jogo inaugural do campeonato. Mas o presidente do Benfica, Manual Villarino, prometeu apoio a Barroso, esperando que ele vença o pleito e livre o clube das dívidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.