Posse adiada é questão da Venezuela, dizem EUA e UE

O governo dos Estados Unidos disse na noite desta quarta-feira que a decisão do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) da Venezuela em legitimar o início de mais um mandato para o presidente Hugo Chávez, sem a presença do político, que está doente em Cuba, é uma decisão "dos venezuelanos e para os venezuelanos" e que o governo dos EUA não tem autonomia sobre os eventos que ocorrem em Caracas.

AE, Agência Estado

09 de janeiro de 2013 | 20h54

"Essa é uma decisão que precisa ser tomada pelos venezuelanos e para os venezuelanos. Esta não é uma decisão para nós tomarmos, é uma decisão para os venezuelanos", disse Victoria Nuland, porta-voz do Departamento de Estado americano. A União Europeia (UE), também declarou que é uma questão interna da Venezuela. "É importante que a Constituição seja respeitada e interpretada corretamente", disse Maja Kocijancic, porta-voz da chefe de política externa da UE, Catherine Ashton.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.