Possível erupção de vulcão leva guerrilha e governo à trégua nas Filipinas

Porta-vozes comunistas aceitaram nesta quarta-feira a proposta do governo filipino de um cessar-fogo para facilitar a evacuação de moradores das encostas do vulcão Bulusan. A provável erupção do vulcão levou o governo a oferecer aos rebeldes comunistas, na terça-feira, uma trégua temporária na região. A região é uma das áreas apontadas como prioritárias pela presidente, Gloria Macapagal Arroyo, para acabar com a guerrilha em dois anos.A Frente Democrática Nacional, ligada à guerrilha do Novo Exército do Povo (NEP), afirmou em comunicado que vai permitir os trabalhos de evacuação, desde que não levem a um aumento da presença na região do Exército filipino ou das tropas dos Estados Unidos que operam no país."O cessar-fogo não é uma licença para as Forças Armadas invadirem as áreas afetadas", diz o texto, assinado por Fidel Agcaoili. Na semana passada, a presidente havia anunciado um orçamento militar de US$ 19 milhões para desarticular o NEP num prazo de dois anos. Os partidos de esquerda criticam o novo programa por considerar inimigos do Estado os ativistas rebeldes e por permitir assassinatos de civis.Os esquerdistas denunciam que cerca de 700 militantes de esquerda foram assassinados por militares e paramilitares desde 2001, data da chegada ao poder de Macapagal Arroyo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.