Possível fracasso na missão de Annan põe ONU em alerta

Colapso nas negociações de paz aumentaria o risco de abrir um período de grande incerteza e tensão no Oriente Médio

GENEBRA, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2012 | 03h08

A ameaça de fracasso do acordo de paz deixa a diplomacia da ONU em estado de alerta e temendo um banho de sangue. Ontem, ao Estado, o porta-voz de Kofi Annan deixou explícita sua preocupação. "Essa é a nossa última chance de evitar uma guerra e todos sabem disso", disse Ahmed Fawzi.

Nos corredores da ONU, o colapso nas negociações aumenta o risco de abrir um período de tensão no Oriente Médio. Ontem, os próprios mediadores não sabiam dizer o que ocorreria se o projeto fracassasse. Annan viaja na quarta-feira para Teerã para convencer o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, a apoiar o cessar-fogo e convencer a Síria a cumprir o plano de paz.

Enquanto Annan tenta salvar o acordo, a oposição síria acusa Damasco de usar o tempo para ganhar posições estratégicas antes do cessar-fogo. No sábado, mais de cem pessoas morreram. No domingo, foram 39 mortos, segundo o Observatório de Direitos Humanos da Síria. Alguns ativistas chegaram a colocar o número total de mortes no fim de semana em 200.

O próprio Annan abandonou a cautela e acusou o regime sírio de desrespeitar seus compromissos. "Relembro ao governo sírio a necessidade de uma implementação completa de seus compromissos e enfatizo que a atual escalada da violência é inaceitável", disse o mediador da ONU em Genebra. De acordo com Annan, no lugar de começar a retirar suas tropas, o regime incrementou o lançamento de bombas sobre áreas residenciais e movimentou tanques para zonas estratégicas.

O mediador se disse "horrorizado" com o aumento da violência e voltou a fazer cobranças. "Estou chocado com os relatos de uma escalada da violência e com as atrocidades em diversas cidades na Síria, que resultaram em um nível alarmante de vítimas, refugiados e deslocados, em uma violação às garantias que me foram dadas", afirmou. / J.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.