Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Posts em redes sociais são mais favoráveis a Obama, diz pesquisa

Republicano Mitt Romney tem sido criticado pelos internautas no Twitter e no Facebook

Agência Estado

06 de novembro de 2012 | 11h49

SÃO PAULO - Os posts no Twitter e no Facebook sobre o presidente dos Estados Unidos e candidato à reeleição, Barack Obama, e seu rival republicano, o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney, tendem a ser mais críticos do que elogiosos. No entanto, quando um candidato ganha apoio nas redes sociais, esse candidato é Obama, de acordo com um estudo publicado pelo site MarketWatch.

 

Segundo o estudo, de todos os tweets sobre Romney publicados em oito semanas, encerradas em 21 de outubro, 58% eram negativos, de acordo com uma análise de quase 2,5 mil conversas online feita pelo Pew Research Center, ante 45% de Obama.

 

A tendência é similar no Facebook. Praticamente 62% dos posts sobre Romney e 53% sobre Obama eram negativos, informou o Pew. O instituto disse que o tom das mensagens melhorou para o presidente ao longo de outubro.

 

Os americanos escolhem nesta terça-feira, 6, o presidente que governará o país pelos próximos 4 anos, além de 435 deputados e um terço dos 100 parlamentares que compõem o Senado.

 

As últimas pesquisas indicaram uma pequena vantagem para Obama e os analistas acreditam que o democrata deve vencer por uma pequena margem, mostrando um eleitorado bastante dividido. Quase 240 milhões de pessoas podem votas nos Estados Unidos, mas apenas três quartos desse total se registraram para votar.

 

O presidente Obama depositou seu voto de forma antecipada, em 25 de outubro. Seu vice, Joe Biden, votou pela manhã e o candidato republicano, Romney, também já compareceu às urnas, que foram abertas entre as 9h e 10h (de Brasília) nos Estados da Costa Leste e devem fechar às 22h na mesma região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.