Potências chegam a acordo prévio para novas sanções ao Irã

Após três dias de negociações, embaixadores dos cinco países membros do Conselho de Segurança da ONU (Estados Unidos, China, Rússia, Reino Unido e França), mais a Alemanha, chegaram nesta quarta-feira a acordo prévio para um novo pacote de sanções contra o Irã, com o objetivo de que o país persa seja obrigado a suspender seu programa de enriquecimento de urânio.As medidas foram enviadas aos governos dos países, para que, após o aval de todos, sejam apresentadas nesta quinta-feira aos membros não permanentes do Conselho de Segurança, que não participaram das negociações, informou o embaixador britânico, Emyr Jones Parry.Embora sem direito a veto, os dez membros não permanentes serão consultados sobre a resolução,"Temos um acordo em princípio baseado em algumas mudanças adicionais que forma introduzidas e apresentadas hoje por algumas delegações", declarou o embaixador norte-americano Alejandro Wolff. "Portanto, são novos elementos e entendimentos que precisam da confirmação dos governos. Mas é um pacote que, se aprovado pelos governos, será basicamente um caminho em direção a uma resolução", acrescentou. O embaixador da Rússia, Vitaly Churkin, disse que no geral o pacote teve aceitação de todos os países. Entre as sanções previstas no novo pacote há o embargo sobre as exportações de armas iranianas e o congelamento de ativos sobre mais companhias e indivíduos associados com os programas nuclear e de mísseis de Teerã. A nova resolução também pedirá a todos os estados membros da ONU que exerçam "vigilância e restrição" sobre as importações de armas e sobre a entrada ou trânsito através de seus territórios de iranianos sujeitos ao congelamento de ativos. O Conselho de Segurança deve pedir ainda que os países que não assumam compromissos de doação, assistência financeira, ou concessão de empréstimos ao governo do Irã.Em dezembro, o Conselho de Segurança, por unanimidade, impôs uma série de sanções contra o Irã, diante da recusa do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, de parar seu programa nuclear. A resolução conclamou todos os países a barrar importações ao Irã de material e tecnologia que poderia contribuir para o programa nuclear e o congelamento de bens e valores de 10 companhias e 12 cidadãos iranianos relacionados ao projeto atômico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.