Powell diz que EUA querem fazer do Iraque um país melhor

Os Estados Unidos querem transformar o Iraque num país melhor, e se Washington for compelido a derrubar o presidente iraquiano, Saddam Hussein, um comandante militar dos EUA irá assumir o controle do território iraquiano para acompanhar a transferência de poder para uma nova liderança nacional, afirmou o secretário de Estado dos EUA, Colin Powell.Numa entrevista ao al-Arabiya News Channel, a ser apresentada na noite de hoje, Powell disse que os EUA esperam que uma confrontação militar com Bagdá "possa ser evitada"."Mas se houver um conflito, então um comandante militar irá inicialmente assumir o controle; não apenas promovendo operações militares, mas para garantir que logo depois da operação haja segurança, que as pessoas sejam protegidas, que os suprimentos humanitários sejam entregues", explicou ele à tevê por satélite baseada em Dubai, Emirados Árabes Unidos."Vamos ao Iraque não para destruir um lugar, mas para torná-lo melhor", afirmou Powell, segundo uma transcrição da entrevista conseguida pela Associated Press em Amã, Jordânia.Powell alegou que Washington busca "remover um regime que, acreditamos, tem desperdiçado as riquezas do povo em armas de destruição em massa. Assim, não vamos destruir o Iraque e pensamos que uma vez que o regime tenha sido eliminado, haverá instituições que continuarão em ordem".Ele repudiou especulações do entrevistador, de que o comando militar dos EUA seria de longo prazo e reminiscente da invasão de Granada, de 1983, pelo então presidente Ronald Reagan. "Quando você tem uma operação militar, vai haver um comando militar. Mas quanto tempo aquele comandante militar permaneceu em Granada? Muito pouco tempo", disse Powell.O comandante militar, explicou, irá transferir a autoridade para uma liderança civil iraquiana "o mais rápido que pudermos".Segundo ele, uma nova liderança iraquiana será composta de membros da oposição fora do Iraque e aqueles dentro do país "que são responsáveis e que estão comprometidos com os mesmos valores daqueles fora do país".Powell garantiu que os EUA não estão tentando ocupar o Iraque."Nós tomamos o Kuwait?", perguntou, referindo-se à Guerra do Golfo de 1991, liderada pelos EUA, que pôs fim à ocupação iraquiana do emirado, rico em petróleo."O passado dos Estados Unidos não é de imperialismo", considerou. "É o de fazer o serviço, trazer paz, restaurar a ordem e estabelecer um governo responsável".Powell sugeriu que irá visitar o Oriente Médio em breve, mas não estipulou data.Ele também sublinhou que uma guerra no Iraque não faria com que os EUA deixassem de tentar resolver o conflito palestino-israelense. O presidente George W. Bush "continua comprometido com sua visão apresentada em 24 de junho de dois Estados, um deles chamado Palestina, e o Estado palestino vivendo em paz, lado a lado com Israel", disse Powell.Ele garantiu que Washington irá assumir um papel mais ativo de promoção da paz no Oriente Médio, uma vez que seja formado um governo israelense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.