Powell diz que "uso da força está mais próximo"

O secretário de Estado americano, Colin Powell, afirmou que o Iraque está em "flagrante violação" da resolução 1441 do Conselho de Segurança da ONU, porque sua declaração sobre desarmamento "não responde a muitas perguntas" e "não é nem preciso nem completo". Powell advertiu que o uso da força está ?mais próximo?. ?O relatório sobre armamentos não responde a muitas perguntas. Não é exato e nem completo?, disse o secretário de Estado, ao repudiar o texto de 12.000 páginas apresentado pelo Iraque aos inspetores de armas da ONU, como forma de cumprir a resolução 1441. A despeito do alerta sobre o uso da força, Powell disse que os Estados Unidos não estão pedindo à ONU que se apliquem as ?sérias conseqüências? previstas na 1441 para violações às normas internacionais que fossem cometidas pelo Iraque. O secretário disse que de agora em diante os EUA continuarão a trabalhar com a comunidade internacional, e que o país quer que os inspetores internacionais intensifiquem seu trabalho. O Iraque nega possuir armas nucleares, químicas ou biológicas. ?Há um limite até onde se pode chegar pela via da cooperação. Não é um tempo indefinido?, advertiu Powell. Ele disse que os Estados Unidos oferecerão informações de inteligência aos inspetores da ONU, para que possam trabalhar ?com mais eficiência?. ?Washington fará todo o possível para evitar uma guerra?, garantiu.

Agencia Estado,

19 Dezembro 2002 | 18h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.