Powell diz ter apoio da China sobre Coréia do Norte

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Colin Powell, afirmou que a China manifestou disposição de ter um papel mais atuante na ajuda para resolver a crise sobre o programa de desenvolvimento nuclear da Coréia do Norte. Ao final dos encontros, Powell disse que não poderia discutir em público quais iniciativas estão sendo tomadas pela China em relação à Coréia do Norte. A administração norte-americana acredita que a Coréia do Norte poderá ter seis armas nucleares dentro de alguns meses. No encontro com autoridades chinesas, Powell também tentaria convencer a China a não vetar uma nova resolução no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) que permitiria o uso de forças militares para desarmar o Iraque e tirar Saddam Hussein do poder. Na entrevista após os encontros, Powell afirmou que não discutiu com os líderes chineses uma segunda resolução sobre o Iraque no Conselho Segurança da ONU, já que ela ainda tem de ser apresentada. Uma nova resolução sobre o Iraque deverá ser apresentada esta semana ao Conselho de Segurança da ONU. Até agora, a China, que tem poder de veto como membro permanente do CS da ONU, tem defendido a concessão de um prazo mais longo para que os inspetores da ONU continuem suas buscas no Iraque. Powell deixou a China e seguiu para Seul, capital da Coréia do Sul, onde participará, amanhã, da cerimônia de posse do presidente eleito Roh Moo-hyun. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.