Powell espera negociar criação do Estado palestino

O secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, afirmou, em entrevista coletiva no Cairo, que está otimista quanto às perspectivas de que sua intensa rodada de reuniões possa levar a negociações para o estabelecimento de um Estado palestino ao lado de Israel. Powell ofereceu observadores dos EUA para monitorar a trégua que venha a ser negociada.Powell disse, nesta terça-feira, que pretende reunir-se nesta semana tanto com o líder palestino Yasser Arafat quanto com o primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon."Temos de agir mais rapidamente" na busca de um acordo geral para o conflito, disse ele posteriormente a repórteres a bordo de seu avião. Ele não definiu prazos para suas conversações na região. "Estou preparado para permanecer por um tempo", afirmou.Powell se reuniu no Cairo com o presidente egípcio, Hosni Mubarak, como parte de seus esforços para conseguir uma maior participação árabe no processo de paz, assim como o fim imediato da ofensiva militar israelense.Com ArafatFoi a primeira vez que Powell disse expressamente que irá reunir-se com Arafat durante sua visita a Israel, onde ele chega na noite desta quinta-feira. O líder palestino está isolado por forças israelenses em seu quartel-general em Ramallah, na Cisjordânia.Israel anunciou que não tentará impedir um encontro entre Powell e Arafat. Mais cedo, Powell havia sido menos enfático, dizendo que só iria se encontrar com Arafat "se as circunstâncias permitirem". Powell afirmou ter conversado nesta terça com Sharon, e o israelense reiterou "seu comprometimento para pôr um fim o mais rápido possível" à operação.Elogio a IsraelPowell elogiou Israel por ter começado a se retirar de áreas palestinas, mas destacou que os combates ainda são intensos. Depois que 13 soldados israelenses foram mortos numa emboscada nesta terça-feira no campo de refugiados de Jenin, Sharon anunciou num discurso televisionado à nação que a ofensiva israelense vai continuar.Em Washington, o porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer, disse que o presidente George W. Bush espera que Israel "se retire e faça isto agora... O presidente acredita que todas as partes ainda têm responsabilidades. Ele está ansioso por resultados".Trabalhando para preencher vazios na visão dos EUA de uma paz permanente, Powell disse que objetivos políticos têm de ser perseguidos concomitantemente com conversações para o fim da atual violência.ReconhecimentoEle afirmou aos árabes que eles têm de reconhecer o direito de existência de Israel. Numa outra tentativa de reforçar o papel dos EUA na região, Powell disse que a administração Bush está preparada para monitorar qualquer cessar-fogo com observadores americanos."Isto ajudaria na criação de confiança entre os dois lados, para voltarmos ao ponto onde estávamos poucos anos atrás", afirmou. Powell viajou para Madri onde se reúne nesta quarta-feira com líderes da União Européia, ONU e Rússia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.