Powell falará de armas nucleares como prova contra Iraque

Um dos elementos que os EUA apresentarão à ONU como "prova" de um rearmamento do Iraque será uma série de novas acusações ligadas ao interesse de Bagdá pela aquisição de tubos de alumínio para um programa nuclear, deixaram transcender hoje os serviços secretos. O diretor da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Mohamed ElBaradei, disse dias atrás que os inspetores consideram que os tubos de alumínio - dos quais se fala há uma semana - serviam não para um programa nuclear e, sim, para armamentos convencionais. Mas, segundo a versão que os serviços secretos americanos deixaram transpirar, através da emissora CNN, o secretário de Estado Colin Powell, quando se apresentar perante a ONU na próxima semana, levará "provas" em sentido contrário. Os EUA consideram ter "um importane número de provas", segundo essas fontes, sobre o destino para uso nuclear dos componentes de alumínio.A inteligência americana afirma também que a aquisição de peças foi negociada por expoentes de altíssimo nível do governo de Bagdá, que tal aquisição deveria ser mantida em segredo e que os iraquianos estavam dispostos a pagar por ela "somas enormes no mercado negro". Além disso, segundo tais versões, o Iraque insistiu em obter tubos de alumínio de um diâmetro específico, compatível com o uso para tratamento de material nuclear.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.