Powell permaneceria em novo mandato, diz governo dos EUA

O governo americano negou nesta segunda-feira uma versão da imprensa segundo a qual o secretário de Estado Colin Powell e um de seus subsecretários não continuariam em seus cargos se o presidente George W. Bush fosse reeleito. O jornal The Washington Post disse que Powell e o subsecretário Richard Armitage participaram à assessora presidencial de Segurança Nacional, Condoleezza Rice, que deixariam seus cargos em 21 de janeiro de 2005, um dia após o início do próximo mandato presidencial.O porta-voz do Departamento de Estado, Philip T.Reeker, rejeitou enfaticamente a versão do Post. ?Não há absolutamente nenhuma base para esta versão?, disse Reeker. ?Esta conversa não aconteceu?. Logo em seguida, Reeker reiterou sua negativa: ?Como o secretário Powell tem dito sempre, ele e seu subsecretário Armitage servem com prazer o presidente e continuariam a fazê-lo?, disse. Na Casa Branca, o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Michael Anton, disse que ?nunca houve tal conversa?. Citando ?fontes familiarizadas com as conversações?, o jornal indicou que a suposta renúncia de Powell seria em cumprimento a uma promessa feita a sua esposa, e não por desentendimentos com outros setores do governo. Funcionários governamentais que poderiam estar a par dos planos de Powell não foram encontrados no domingo à noite, mas é amplamente difundida a versão de que o secretário de Estado serviria apenas um período presidencial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.