Pratini não vê consequências negativas sobre agricultura no Brasil

O ministro da Agricultura, Marcus Vinícius Pratini de Moraes, disse hoje que o início da guerra no Afeganistão não deverá ter conseqüências negativas sobre as exportações agrícolas brasileiras, que vem crescendo significativamente neste ano. Ele salientou que os efeitos do conflito sobre a agricultura, caso ocorram, estarão concentrados nos preços das commodities (açúcar, carne, soja, café e algodão) em nível internacional, mas disse que considera essa hipótese remota. Para o ministro, os reflexos mais graves da guerra para o Brasil, do ponto de vista econômico, continuarão a ser mais fortes no desempenho da bolsa de valores e no mercado de câmbio, como já vem acontecendo desde o ataque terrorista ao World Trade Center, no dia 11 de setembro. Pratini de Moraes disse que o governo brasileiro deve manter o apoio aos Estados Unidos, porque "há no mundo todo uma profunda indignação em relação aos ataques terroristas que custaram a vida de 6.000 pessoas".

Agencia Estado,

07 Outubro 2001 | 15h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.