Pré-candidato Democrata à Presidência dos EUA critica o Nafta

O ex-senador John Edwards, pré-candidato à Presidência dos Estados Unidos pelo Partido Democrata, disse neste sábado, 21, que o repúdio ao Tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta) beneficiaria os trabalhadores americanos.O acordo, assinado entre Estados Unidos, México e Canadá, entrou em vigor em 1º de janeiro de 1994, e seu repúdio, junto com o fortalecimento dos direitos de negociação para os empregados em greve nos Estados Unidos, trariam, segundo Edwards, benefícios para os trabalhadores."Precisamos mudar as leis trabalhistas neste país", disse Edwards durante um encontro com possíveis eleitores em Indianola (Iowa)."Está cada vez mais claro que as leis se tornaram mais favoráveis aos empregadores, e todos queremos eqüidade para os empregados, não uma vantagem dos trabalhadores sobre seus patrões".Edwards, que era candidato à vice-presidência na chapa de Al Gore nas eleições de 2004, se pronunciou a favor de mudanças que facilitem a organização de sindicatos nos Estados Unidos, um país onde apenas 14% da força de trabalho encontra-se organizada em sindicatos.As medidas, segundo o ex-senador da Carolina do Norte, assegurariam a capacidade dos trabalhadores de negociar coletivamente condições mais justas, e diminuiriam a migração de postos de trabalho para outros países."O que muitos americanos parecem ter esquecido é que os bons empregos que tivemos no setor fabril dos Estados Unidos só se tornaram bons empregos depois da existência dos sindicatos", disse Edwards."Os Estados Unidos precisam de um presidente que reconheça isto e não tenha medo de dizê-lo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.