Charlie Neibergall/Associated Press
Charlie Neibergall/Associated Press

Pré-candidatos democratas responsabilizam Trump e NRA por falta de legislação sobre armas

Em fórum sobre violência na capital de Iowa, democratas lembraram tiroteios na última semana; senadora de Nova York chamou Trump de mentiroso

Will Weissert e Elana Schor, Associated Press

10 de agosto de 2019 | 16h32

Pré-candidatos do partido Democrata à Presidência dos Estados Unidos colocaram a responsabilidade pela falta de ação contra violência com armas de fogo nas mãos do presidente Donald Trump e da Associação Nacional do Rifle (NRA), em meio a cenário de apoio geral do país para alguma medida de controle ao aceso a armas.

"Se a maioria dos norte-americanos insiste que algo deve ser feito e isso não aconteceu, isso significa que nós precisamos de reforma profunda", disse o prefeito de South Bend, Indiana, Pete Buttigieg, em um fórum sobre violência com armas em Des Moines, capital de Iowa.

O fórum ocorre uma semana depois de dois tiroteios - um em El Paso, Texas e um em Dayton, Ohio - reacenderem debate sobre armas nos EUA. Dezessete candidatos devem falar e responder a perguntas de membros do grupo de apoiadores de controle ao acesso a armas.

A senadora por Nova York, Kirsten Gillibrand, respondendo a uma pergunta sobre como evitar estigmatizar doenças mentais quando o presidente repetidamente enfatiza o tema em resposta a tiroteios, chamou Trump de mentiroso. "É só o presidente Trump mentindo para os norte-americanos novamente, sendo inautêntico sobre o verdadeiro problema... Tentando distrair, e tentando não assumir a responsabilidade pelo que está acontecendo nesta nação", disse ela.

Diversos pré-candidatos divulgaram propostas de controle de armas desde os tiroteios. Hoje, os pré-candidatos do partido Democrata concordaram na maior parte dos pontos das propostas, enfatizando a necessidade de fechar brechas ligadas à verificação de antecedentes, de proibir alguns tipos mais potentes de armas e de financiar pesquisas sobre violência ligada a armas. A maioria dos candidatos também propôs reforma no financiamento de campanha como solução para combater a influência da NRA em eleições.

A senadora pela Califórnia Kamala Harris e a senadora por Massachusetts Elizabeth Warren pediram que a varejista Walmart pare de vender armas. Um representante do Walmart disse que a companhia está conduzindo "uma revisão profunda de nossas políticas" após o tiroteio.

Um trio de pré-candidatos mais moderados - o deputado por Ohio, Tim Ryan; o governador de Montana, Steve Bullock; e a senadora por Minnesota Amy Klobuchar - pediram que proprietários de armas se envolvessem nos esforços por mais controle.

Uma pesquisa da Pew de 2017 concluiu que uma pequena maioria dos membros da NRA - e mais de três quartos dos proprietários de armas de fogo ouvidos - apoiam verificações de antecedentes mais fortes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.