Precedente põe García em risco

O atual presidente peruano, Alan García, é alvo da acusação de violar os direitos humanos durante seu primeiro mandato (1985-1990). A condenação de Fujimori deve aumentar a pressão para que ele também seja levado a julgamento pelo massacre de presos rebelados no presídio de El Fronton e pela morte de 90 camponeses.García defende-se dizendo que foi um líder democrático que não tinha controle sobre o Exército, diferentemente de Fujimori, que foi um líder autoritário com comando completo.Como não pode mais concorrer à presidência, esperava-se que seu partido, a Aliança Popular Revolucionária Americana (Apra), apoiasse a candidatura da filha de Fujimori, Keiko, contra o esquerdista Ollanta Humala, na eleição de 2011. Mas, se García tiver de reforçar os ataques contra Fujimori para se defender, a aliança não deve sair do papel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.