Prédio dos Correios em Paris é evacuado por temor do antraz

Os falsos alertas de ataques de antraz tem se sucedido nas agências de correios na França, um dos alvos mais visados, pois, além de atrasar a distribuição de cartas, prejudica o comércio, já que uma grande parte de pagamentos de faturas passa por esse serviço. Nesta quinta-feira, 800 funcionários da maior agência parisiense dos correios, na rua du Louvre, teve que ser evacuada, após a descoberta de pó branco numa carta endereçada à Liga Contra o Racismo e o Antisemitismo (Licra). Essa é a terceira vez que a agência é ameaçada, mas até agora tudo não tem passado de alerta falso.Os funcionários voltaram ao trabalho poucas horas depois da evacuação, mas 12 deles permanecem hospitalizados em observação. O mesmo ocorreu numa escola de Estrasburgo, na Alsacia, sendo que três crianças encontram-se também internadas para observações.No caso da agência da rua du Louvre, na região do Halles, centro de Paris, a carta suspeita havia sido registrada em Nimes, na região da Provence. No momento da triagem, em Paris, o pó branco, escapou do envelope e se espalhou atingindo o funcionário que manipulava a carta e vários outros compartimentos do setor de triagem. Diante disso, o laboratório central da policia esteve no local, recolhendo material para a análise que se revelou negativa. Anteriormente, no dia 16 de outubro, na mesma agência, uma outra carta contendo pó branco estava endereçada ao famoso costureiro Kenzo.Ao mesmo tempo, também duas outras associações israelitas de Paris, a União dos Estudantes Judeus da França (USJF), e o B´nai Britt, associação de defesa dos direitos do homem, também foram contempladas com carta contendo um pó branco e com ameaças de ataques bacteriológicos. Também essa carta foi registrada na cidade de Nimes.Esses alertas falsos são severamente punidos na França e podem resultar numa pena de reclusão de até três anos, segundo alertou o ministro da Saúde, Bernard Kouchner, após uma reunião com os ministros do Interior e da Justiça, para coordenar medidas para identificar e punir os responsáveisLeia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.