Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Prédio que substituirá o WTC pode ser vendido a investidores

A Torre da Liberdade, arranha-céu de 3 bilhões de dólares que será construído no terreno onde ficava o World Trade Center, em Nova York, pode ser vendido a investidores privados. David Lichtenstein, executivo do setor imobiliário, afirma ter sido procurado para efetuar o negócio. Lichtenstein, executivo-chefe do Lightstone Group, de Nova Jersey, disse na segunda-feira que a Autoridade Portuária de Nova York e Nova Jersey, dona do terreno, recentemente perguntou a ele - e provavelmente a seus concorrentes - se havia interesse na compra da torre. Representantes da Autoridade Portuária e do incorporador Larry Silverstein, responsável pelas obras no local atingido pelos atentados de 11 de setembro de 2001, não comentaram. Qualquer transação envolvendo a Torre da Liberdade, que terá 541 metros, seria complicada. Segundo Lichtenstein, não se sabe qual seria a parcela sob propriedade de Silverstein, e também seria possível que a Autoridade Portuária vendesse o terreno. Silverstein alugou o World Trade Center pouco antes dos atentados que mataram quase 3.000 pessoas e que posteriormente fizeram muitas empresas deixar Manhattan. A perspectiva financeira da cidade só voltou a se recuperar em 2005, quando a Goldman Sachs, ao receber US$ 1,75 bilhão em incentivos, decidiu construir sua nova sede vizinha ao local. Mesmo assim, a Autoridade Portuária diz que a viabilidade da Torre da Liberdade depende de garantir seu financiamento. Lichtenstein disse que, mesmo havendo uma transação privada, o prédio só poderia ser totalmente ocupado se para lá fossem também funcionários públicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.