Prefeita de Corleone pede desculpas às vítimas da máfia

Declarações chegam no dia da comemoração da prisão de chefe da Cosa Nostra.

BBC Brasil, BBC

15 de janeiro de 2013 | 21h36

A prefeita de Corleone, cidade italiana famosa por suas ligações com a máfia Cosa Nostra, pediu desculpas às vítimas do crime organizado nesta terça-feira.

Lea Savona disse que a cidade não pertence mais à máfia e pediu para que aqueles que ainda integram a organização se entreguem às autoridades.

Os comentários da prefeita chegam em meio à celebração do aniversário da prisão do chefão da máfia, Toto Riina.

Ela disse que seu objetivo é obter um perdão por todo o sangue derramado.

"Peço desculpas em nome de toda Corleone, peço perdão pelo que foi pago com sangue", disse.

"À máfia, peço que saiam dessa terra, e abandonem a luta. Peço que admitam a derrota e se entreguem com a consciência de que esta terra, finalmente, um dia, será libertada", acrescentou.

Alan Johnston, analista da BBC em Roma, avalia que embora a Cosa Nostra ainda tenha uma presença na cidade, que fica a cerca de 60 quilômetros de Palermo, a capital da Sicília, já não tem mais a mesma força.

Durante a cerimônia, na qual uma foi nomeada em homenagem a um promotor que lutou contra a máfia, a prefeita também listou os nomes de várias vítimas do crime, incluindo os promotores Giovanni Falcone e Paolo Borselino, mortos em diferentes atentados a bomba em 1992.

Toto Riina, conhecido como "A Besta", atualmente cumpre múltiplas sentenças de prisão perpétua após liderar a facção da Cosa Nostra sediada em Corleone.

Ele foi o responsável pela campanha do grupo contra máfias rivais e o governo italiano nos anos 1980 e 1990. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.