Prefeito de Bogotá expulsa policiais acusados de queimarem cachorros vivos

Fogo foi ateado no local onde dois moradores de rua se abrigavam; animais estavam presos e morreram

EFE,

01 de junho de 2012 | 01h55

BOGOTÁ - Policiais acusados de queimar dois cachorros vivos após atearem fogo em um local onde dois moradores de rua se abrigavam, no bairro de San Cristóbal, no sul de Bogotá, foram expulsos da corporação, anunciou nesta quinta-feira, 31, o prefeito da capital colombiana, Gustavo Petro.

 

O incidente revoltou a opinião pública da cidade. "O membro da polícia que abusa de suas funções públicas em Bogotá será destituído pelo Comandante da Polícia Metropolitana de Bogotá, brigadeiro-general Luis Eduardo Martínez. Oo que queimaram animais serão destituídos.", escreveu Petro no Twitter.

 

Testemunhas relataram às emissoras de televisão locais que os policiais tentaram tirar os dois moradores de rua de um terreno onde se protegiam do frio com vários plásticos e, como não conseguiram, botaram fogo no local. Os dois moradores de rua saíram apavorados debaixo dos plásticos, mas os cachorros não puderam escapar porque estavam amarrados com coleira e morreram queimados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.