François Lenoir/Reuters
François Lenoir/Reuters

Prefeito de Bruxelas renuncia após escândalo de corrupção

Yvan Mayeur recebeu 35,7 mil euros de uma associação sem fins lucrativos em pagamentos indevidos entre os anos de 2015 e 2016

O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2017 | 02h07

BRUXELAS - O prefeito de Bruxelas, sede de diversas instituições da União Europeia, renunciou na quinta-feira, 8, após um escândalo de corrupção no qual foi acusado de receber milhares de euros em pagamentos indevidos pelo trabalho em um programa de ajuda de moradores de rua. 

Prefeito desde 2013, Mayeur comunicou a decisão aos membros do seu partido, enquanto prosseguem as negociações para indicar seu sucessor. 

A renúncia se tornou inevitável após o escândalo envolvendo a gestão do programa Samusocial, associação sem fins lucrativos que recebia 98% de seu orçamento, de 12 milhões de euros, de verbas públicas.

O escândalo explodiu quando um deputado opositor revelou que a Samusocial destinava 60 mil euros anuais à remuneração de seus dirigentes, incluindo Mayeur, membro da diretoria da instituição.

Segundo a rede de televisão estatal RTBF, Mayeur recebeu 16.800 euros da instituição em 2015 e 18.900 euros no ano passado. 

"Eu sou assistente social, não faço caridade e sim um trabalho profissional. Por acaso não mereço uma compensação? Penso que sim. Eu recebia líquido, após descontar os impostos, 700 euros por mês", justificou Mayeur em entrevista ao jornal belga Le Soir na ocasião. / AFP e AP

Tudo o que sabemos sobre:
União EuropeiaBRUXELASBélgica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.