Prefeito de Jerusalém apóia parada gay

O recém-eleito prefeito de Jerusalém, o ultraortodoxo Uri Lupolianski, anunciou seu total apoio à parada gay da cidade, mas avisou que não participará do evento. "Vou participar de minha própria parada", disse ele. Este é o segundo ano em que será realizada uma parada gay em Jerusalém. O evento deveria ter ocorrido na sexta-feira passada, mas foi adiado para o próximo dia 20 devido ao atentado contra um ônibus que matou 17 pessoas, incluindo Alan Beer, um de seus organizadores, no último dia 11. Também hoje, a polícia de Jerusalém iniciou uma investigação para descobrir os responsáveis pela destruição de 20 das 100 bandeiras com as cores do arco-íris (símbolo gay) que foram penduradas pela prefeitura nas ruas centrais da cidade. Um grupo proscrito de extrema direita, o movimento Kach, assumiu a autoria do vandalismo em um site da internet.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.