Prefeito de Kandahar é morto em ataque suicida

Um suicida que escondia explosivos em seu turbante matou o prefeito de Kandahar nesta quarta-feira, apenas duas semanas depois do assassinato do poderoso meio-irmão do presidente Hamid Karzai numa província do sul do país. O Taleban assumiu a autoria do atentado desta quarta-feira.

AE, Agência Estado

27 de julho de 2011 | 09h43

O prefeito Ghulam Haider Hamidi, de 65 anos, foi a terceira pessoa influente do sul do Afeganistão a ser assassinada em apenas duas semanas, elevando temores sobre um aumento da violência após a morte do meio-irmão do presidente. O Taleban afirmou ser responsável pelos três assassinatos, embora na área as rivalidades tribais e a existência de criminosos sejam frequentes na região e ainda não esteja claro quem está por trás dos três assassinatos.

O porta-voz do Taleban, Qari Yousef Ahmadi, disse à Associated Press que o prefeito de Kandahar foi morto porque ele ordenou a destruição de casas que teriam sido construídas ilegalmente. Ahmadi disse que o prefeito foi morto para vingar a morte de duas crianças que morreram durante as demolições. O governador de Kandahar, Tooryalai Wesa, disse que duas crianças morreram acidentalmente quando escavadeiras derrubavam as casas.

Durante seus quatro anos como prefeito, Hamidi se tornou um inimigo do Taleban, bem como de outras pessoas envolvidas com atividades criminais. O prefeito foi morto no interior do fortificado complexo do governo no centro da capital, pouco antes de uma reunião com cidadãos envolvidos numa disputa de terras, disse Mohammad Nabi, funcionário do gabinete do prefeito.

A explosão aconteceu quando alguém que segurava um pedaço de papel se aproximou de Hamidi, que caminhava ao lado de outra pessoa, relatou Nabi. "Ele tentou dizer algo para o prefeito e então a explosão aconteceu", disse Nabi, que afirmou que o homem com o papel era o suicida. "Depois disso, alguns tiros foram disparados. Eu me escondi atrás da parede. As janelas estavam quebradas e havia fumaça preta."

"O suicida colocou os explosivos dentro de seu turbante", disse Sher Shah Yousafzai, vice-chefe de polícia da província de Kandahar. "Assim que o prefeito chegou para trabalhar, o atacante detonou os explosivos". As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.