Prefeito de Londres pede indulto a britânicos do Taleban

Muçulmanos de origem britânica que viajaram ao Afeganistão para lutar ao lado do Taleban nãodeveriam ser processados quando retornarem à Grã-Bretanha, sugeriu o prefeito de Londres, Ken Livingstone. "Temos que entender que estas pessoas foram até lá por causa de um profundo sentimento de injustiça com relação ao queacontece em Israel e na Cisjordânia", argumentou Livingstone em entrevista publicada na edição deste sábado do jornal The Daily Telegraph."É claro que discordo dos métodos deles, mas eles são apenas uma dúzia", comentou Livingstone, segundo publicou o jornal. De acordo com notícias veiculadas pela imprensa, aproximadamente 200 muçulmanos de origem britânica estariamlutando ao lado do Taleban. Três deles foram dados como mortos no Afeganistão no fim de outubro, apesar de as circunstâncias serem incertas.Zaki Badawi, reitor da Faculdade Muçulmana de Londres, disse hoje duvidar que algum muçulmano britânico esteja lutando em favor da milícia fundamentalista do Taleban. "Há muitas histórias sobre isto e a cada hora dizem que alguém está em combate, mas depois encontramos a pessoa em algumlugar do Paqiustão", declarou Badawi em entrevista à rádio estatal BBC.Badawi acrescentou que consideraria como traidor qualquer muçulmano britânico que tenha eventualmente lutado ao lado do Taleban. "Qualquer um que esteja lutando contra este país é um traidor e lamento isto profundamente. Se você é um cidadão britânico, você deve estar sujeito às leis deste país", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.