Prefeito de Londres recorre de suspensão

O prefeito de Londres, Ken Livingston, recorreu nesta segunda-feira da suspensão de quatro semanas aplicada contra ele por ter comparado um repórter judeu com um guarda de campo de concentração nazista. Uma comissão disciplinar determinou na semana passada que a suspensão entraria em vigor na quarta-feira por considerar que o prefeito violou a liturgia do cargo.Por meio de um comunicado, Livingston informou que pediria que a suspensão seja revogada até que sua apelação seja ouvida.Ele alega que sua declaração não violou os códigos de conduta vigentes e contesta e legalidade da punição.O Tribunal Superior de Londres, onde o recurso de Livinsgtone foi apresentado depois da divulgação do comunicado do prefeito, ainda não julgou a apelação.Livingstone nega que tenha pretendido ofender a comunidade judaica quando, durante uma discussão com Oliver Finegold, um repórter do jornal Evening Standard, perguntou ao jornalista se ele era algum tipo de "criminoso de guerra alemão".Finegold respondeu que, como judeu, ficara ofendido com a pergunta. "Você pode até se ofender, mas você age justamente como um guarda de campo de concentração. Você só faz esse trabalho porque é pago para isso, não é?", prosseguiu Livingstone.O comentário do prefeito de Londres teve como motivo o empregador de Finegold, a Associated Newspapers. A companhia de comunicação também é proprietária do Daily Mail, que na década de 30 do século passado seguia uma linha editorial favorável ao nazismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.