Divulgação
Divulgação

Prefeito de Medellín condena visita do rapper Wiz Khalifa a túmulo de Pablo Escobar

Rapper americano depositou flores e um cigarro de maconha na lápide do narcotraficante

O Estado de S.Paulo

28 de março de 2017 | 08h20

BOGOTÁ - O prefeito de Medellín, segunda maior cidade da Colômbia e reduto do famoso narcotraficante Pablo Escobar, criticou na segunda-feira a visita do rapper americano Wiz Khalifa ao túmulo do criminoso, onde o artista deixou flores e fumou maconha.

"Esta pessoa, ao invés de levar flores ao túmulo de Pablo Escobar, deveria ter deixado flores nos túmulos das vítimas da violência provocada pelo narcotráfico", declarou o prefeito Federico Gutiérrez. "Essa apologia ao crime faz muito mal", acrescentou ele à Blu Radio.

Incomodado, Gutiérrez considerou o fato uma piada aos milhares de afetados pela violência provocada nos anos 1980 e 1990 pela guerra entre os cartéis de drogas.

Na sexta-feira 24, Khalifa depositou um arranjo de flores e um cigarro de maconha na lápide de Escobar, morto pela polícia em dezembro de 1993, segundo fotos que o próprio rapper postou em sua conta no Instagram.

Escobar foi um dos homens mais temidos e ricos da Colômbia, liderando por anos um bilionário império global da cocaína.  / AFP

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaPablo EscobarWiz Khalifa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.