Prefeito de NY descarta reconstrução do WTC

As torres gêmeas do World Trade Center, destruídas pelos atentados de 11 de setembro, se foram para sempre. Segundo anunciou o novo prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, elas não serão reconstruídas. O local, na parte sul de Manhattan, abrigará novos prédios comerciais, bem menores que as torres, uma escola e um memorial às vítimas da tragédia.O futuro da área do World Trade Center foi decidido por Bloomberg durante uma reunião mantida com seu antecessor, Rudolph Giuliani, e com os diretores da Lower Manhattan Redevelopment Corporation, agência criada há um mês para estudar a reconstrução desta área da ilha.Dias depois da queda das torres, Giuliani havia se manifestado a favor da reconstrução das torres, mas Bloomberg decidiu modificar o projeto. "Não é prático nem apropriado construir outro edifício de 100 andares", disse ele ao término da reunião com John Whitehead, presidente da Lower Manhattan.Bloomberg acrescentou que cada decisão levará em conta "as necessidades de toda a cidade, de cada um de seus 8 milhões de cidadãos".ComplexoConstruídas na década de 70, as torres eram parte de um complexo composto ainda por edifícios menores que integravam o World Trade Center. Os edifícios abrigavam escritórios de grandes corporações e estavam instalados numa das regiões mais valorizadas do país. Depois de se reunir com Bloomberg, Whithead afirmou que o memorial terá "dimensões apropriadas" e começará a ser construído quando a tarefa de remover as milhares de toneladas de escombros estiver concluída."Teremos escritórios, lojas e escolas para trazer de volta à vida uma área que desde 11 de setembro se converteu num cemitério não só de seres humanos, mas também de atividades comerciais", disse Whitehead.MortosSegundo o último balanço oficial da tragédia, 2.936 pessoas morreram no World Trade Center. Os corpos de 593 pessoas foram reconhecidos oficialmente e outros 1.980 certifidões de óbito foram emitidas com base em declarações juradas de familiares.Inicialmente a cargo de bombeiros e voluntários, o trabalho de remoção de escombros está agora sob a responsabilidade de um consórcio de empresas privadas de construção civil, a Bovis Lend Lease.As gigantescas gruas que ajudaram a remover quase 1 milhão de toneladas de entulho já foram desmontadas e máquinas menores auxiliam agora os trabalhadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.