Prefeito defende cultivo legal de maconha na Holanda

A Holanda debate a legalização da plantação de maconha, para combater as culturas ilegais e as redes de tráfico internacionais que se espalharam pelo país, com a demanda alimentada por milhões de ?turistas das drogas?. A lei holandesa permite que até 5 gramas da droga sejam vendidas legalmente no país, o que atrai milhões de pessoas de países vizinhos. Mas a droga vendida legalmente precisa ser obtida de forma ilegal, pois o cultivo não é autorizado. ?No momento, nosso sistema é muito hipócrita?, diz o prefeito de Maastricht, Gerd Leerd, um dos defensores da mudança. O café The Fantaisie, em Amsterdã, é muito popular entre os ?turistas das drogas?, e seu proprietário, Jaap Louwerier, exemplifica o dilema enfrentado por este tipo de estabelecimento. ?É ilegal para mim a compra dos estoques cada vez maiores de maconha de que eu preciso para fornecer aos fumantes?, diz Louwerier. ?E a lei diz que eu só posso manter 500 gramas estocados em minha loja, o que não é suficiente.? Ele conta que, se bater polícia na loja, seu estoque pode ser confiscado, pois supera o limite legal. ?Isso já aconteceu uma vez, e, se ocorrer três vezes, eu perco minha licença.? Para suprir a demanda, plantações ilegais de pequeno porte proliferaram pela Holanda, em armazéns, sótãos e varandas. Muitas famílias pobres vêem no cultivo de maconha uma alternativa tentadora para aumentar sua renda. Mas especialistas alertam que, como não se sabe como esta maconha é cultivada, ela pode trazer riscos à saúde dos usuários. ?Não está claro como ela é produzida?, diz Harald Wychgel, um cientista que realiza pesquisas na área para o governo holandês. ?Você não sabe se ela é fraca ou superforte, ou se foram usados pesticidas na plantação. Com as drogas é sempre mais seguro saber com segurança de onde elas vêm.?O prefeito Leers diz que a legalização das plantações ajudaria a ter maior controle sobre as drogas, além de possibilitar que as lojas rompam seus elos com redes de traficantes. Mas políticos mais à direita argumentam que a solução é acabar com as leis que autorizam o consumo e a venda de pequenas quantidades de drogas. ?O mercado das drogas é global?, diz Cisca Joldersma, uma deputada do Partido Democrata Cristão. ?Nós não podemos ter uma política liberal isolada.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.