Prefeito e governador de NY visitam Jerusalém

O prefeito da cidade de Nova York, Rudy Giuliani, e seu sucessor Michael Bloomberg visitaram hoje Jerusalém em uma missão destinada a expressar solidariedade a Israel. Acompanhados pelo governador do Estado de Nova York, George Pataki, Giuliani e Bloomberg ficaram alguns minutos em uma esquina do centro da cidade, em frente a uma pizzaria onde um militante palestino perpetrou um ataque suicida à bomba em 9 de agosto e causou a morte de 15 pessoas, incluindo cidadãos americanos. Minutos antes da chegada das autoridades nova-iorquinas, funcionários da prefeitura colocaram na parede de fora do restaurante uma placa que dizia "Rua Nova York". Eles caminharam também pelo centro comercial de Jerusalém, onde outros dois atacantes mataram 11 jovens israelenses ao detonarem explosivos que levavam pregados ao corpo. Giuliani disse que "americanos e israelenses têm que seguir em frente...Não podemos deixar que os terroristas vençam". Sob um forte esquema de segurança, o prefeito de Nova York visitou também Gilo, bairro judeu alvo de freqüentes disparos palestinos. Bloomberg e Pataki, por sua vez, visitaram em um hospital Joseph Leiser, de 29 anos, habitante de Boro Park, Nova York, que ficou ferido em um ataque ocorrido em 1º de dezembro em Jerusalém. Mais cedo, os três líderes de Nova York visitaram o Muro das Lamentações, na cidade velha, onde fora levantado, em tempos bíblicos, o Templo de Jerusalém. Durante sua viagem aos Estados Unidos, interrompida pelos ataques recentes, o primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, visitou as ruínas do World Trade Center, em Nova York.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.