Prefeito é ligado a desaparecimento de jovens no México

Prefeito é ligado a desaparecimento de jovens no México

Polícia informou que recebeu pedido de prefeito para evitar que estudantes interrompessem evento onde sua esposa apresentava um relatório

O Estado de S. Paulo

22 de outubro de 2014 | 19h55

O prefeito da cidade de Iguala, no sul do México, Jose Luis Abarca, ordenou o ataque policial que resultou em seis mortes e no desaparecimento de 43 estudantes, afirmou o procurador geral da república mexicano, Jesus Murillo Karam, nesta quarta-feira.

A polícia de Iguala recebeu um pedido que alegam ter sido do prefeito para evitar que os estudantes interrompessem um evento em que sua esposa apresentava um relatório. De acordo com Murillo Karam, a esposa de Abarca tem sido associada a gangues de drogas e agora é considerada uma fugitiva, junto com o marido e o chefe de polícia de Iguala.

Karam afirmou que as autoridades descobriram um total de nove valas comuns na região ao redor de Iguala, com 30 corpos, dois a mais do que o relatado anteriormente. Testes de DNA iniciais não ligaram os cadáveres aos alunos desaparecidos.

Manifestantes que protestavam contra os desaparecimentos incendiaram a prefeitura de Iguala nesta quarta-feira. A extensão dos danos não ficou clara. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Méxicoviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.