Prefeito iraquiano denuncia morte de civis em ataque dos EUA

A polícia iraquiana e autoridades locais disseram que ao menos oito crianças e sete mulheres estariam entre os 19 civis mortos durante uma operação aérea dos Estados Unidos nesta sexta-feira na cidade de Ishaki, 90 quilômetros a norte de Bagdá. O comando militar americano, no entanto, disse apenas que 20 suspeitos de serem militantes da rede Al-Qaeda no Iraque foram mortos na ação, realizada contra uma aldeia nos arredores da localidade. Os americanos não comentaram as mortes dos civis, e limitaram-se a dizer que entre os militantes haviam duas mulheres.Segundo a agência de notícias Associated Press, forças terrestres americanas que procuravam por insurgentes em edifícios na região predominante sunita do lago Thar Thar revidaram ao ataque dos militantes, matando dois iraquianos. Sob fogo pesado, os soldados pediram apoio aéreo, que resultou na morte de 18 insurgentes - entre eles duas mulheres. "Infelizmente, a Al-Qaeda conta com homens e mulheres apoiando suas operações no Iraque", informou o comando americano.Em buscas pela área, forças da coalizão encontraram diversos tipos de armamento, entre fuzis AK-47, metralhadoras, lançadores de granada, minas, explosivos e roupas suicidas. "Forças da coalizão agiram no local baseadas em relatos de inteligência que indicam que associados com elos com diversas redes da Al-Qaeda no Iraque operavam na área", disseram os militares.O prefeito de Ishaki, Amer Alwan, disse, entretanto, que aviões dos EUA bombardearam duas casas da aldeia por volta da 1 hora (horário local), matando 19 civis. Inicialmente, relatos da agência de notícias Reuters atribuídos à Alwan davam conta de que 32 pessoas estariam dentro das casas e que 25 corpos teriam sido retirados. Mas, segundo a AP, o prefeito disse que seriam 19 civis mortos.Imagens de TV captadas pela AP mostraram 12 corpos cobertos por cobertores em meio aos escombros. Ainda segundo a Reuters, o tenente-coronel Christopher Garver informou que o bombardeio em Ishaqi foi apenas um dos ataques em que as tropas terrestres americanas mataram os 20 militantes da Al-Qaeda. Todas as ações teriam ocorrido na região do lago Thar Thar, na província de Salahaddin. Armamentos também teriam sido apreendidos, segundo os EUA. A área é um reduto de militantes árabes sunitas.Matéria atualizada às 14h17

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.