Prefeito londrino é suspenso por ofensa

O prefeito de Londres, Ken Livingstone, foi suspenso do cargo por quatro semanas por recusar-se a pedir desculpas por ter chamado um repórter judeu de "guarda de campo de concentração nazista".Conhecido por seu estilo combativo, o prefeito da capital britânica considerou a decisão, tomada por um comitê disciplinar administrativo, como um atentado à democracia.O caso foi levado ao Painel de Sentença da Inglaterra pelo Comitê de Representantes dos Judeus Britânicos. "Tivesse o prefeito reconhecido a tristeza causada por seus comentários, esse episódio teria sido evitado", opinou o comitê por meio de um comunicado.O Painel de Sentença determinou nesta sexta-feira que o prefeito começará a cumprir a suspensão de quatro semanas em 1º de março. Livingstone, atualmente em seu segundo mandato, anunciou que pretende recorrer da decisão.O presidente do comitê disciplinar administrativo, David Laverick, considerou que Livingstone não levou em consideração "que sua conduta foi inaceitável e representou prejuízo à reputação de seu cargo".O vice-prefeito de Londres, Nick Gavron, cuja mãe chegou à Grã-Bretanha na década de 30 do século passado como refugiada judia, considerou que o assunto teve repercussão desproporcional à sua importância e repetiu a posição de Livingstone.Livingstone nega que tenha pretendido ofender a comunidade judaica quando, durante uma discussão com o repórter do jornal Evening Standard, Oliver Finegold, perguntou ao jornalista se ele era algum tipo de "criminoso de guerra alemão".Finegold respondeu que, como judeu, ficara ofendido com a pergunta. "Você pode até se ofender, mas você age justamente como um guarda de campo de concentração. Você só faz esse trabalho porque é pago para isso, não é?", prosseguiu Livingstone.O comentário do prefeito de Londres teve como motivo o empregador de Finegold, a Associated Newspapers. A companhia de comunicação também é proprietária do Daily Mail, que na década de 30 do século passado seguia uma linha editorial favorável ao nazismo.Na próxima semana, a Assembléia da Grande Londres analisará se parte do salário de 134 mil libras anuais do prefeito será retida por causa da suspensão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.