Prefeito pede que Nova York se prepare para o furacão Irene

Tormenta deve chegar à cidade no final de semana; autoridades falam até em evacuação

Agência Estado

25 de agosto de 2011 | 13h39

Imagem de satélite mostra o Irene próximo à costa da Flórida

 

NOVA YORK - O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, pediu aos moradores da cidade nesta quinta-feira, 25, que se preparem para uma transferência para locais mais altos e até para uma evacuação quando o furacão Irene atingir a cidade neste final de semana.

 

Com o furacão avançando lentamente na direção da cidade, onde deve chegar entre sábado e domingo, Bloomberg disse que o maior perigo pode vir das fortes chuvas e alagamentos. "Se você tem carro e vive numa área baixa, coloque-o numa colina", disse ele em coletiva de imprensa transmitida pela televisão. "Coloque seus pertences no andar de cima."

 

As repartições públicas, dentre elas o departamento de transportes, já estão retirando equipamentos de áreas que podem ser inundadas e a polícia está disponibilizando botes, disse Bloomberg.

 

No pior cenário, em algumas áreas "relativamente pequenas" da cidade de mais de 8 milhões, será pedido, ou exigido, que os habitantes saiam de suas casas. A prefeitura pode "pedir que as pessoas saiam. Mas aparentemente o prefeito tem o poder de emitir uma ordem executiva e forçar as pessoas a saírem", disse ele.

 

Bloomberg disse às pessoas dos bairros mais suscetíveis para encontrarem acomodações alternativas, a menos que queiram contar com os abrigos da cidade. "Se você vive numa dessas áreas, gaste parte de seu dia hoje com preparativos e veja se um primo distante deseja abrigá-lo durante a noite", brincou ele.

 

Mas os nova-iorquinos não devem se preocupar com a velocidade dos ventos sobre os arranha-céus de Manhattan, que nesta semana já foram sacudidos por um raro terremoto, afirmou Bloomberg. "Prédios grandes foram construídos para resistir a ventos fortes", disse ele. "Não há razão para deixar esse tipo de edificação."

 

Por outro lado, disse o prefeito, pode haver danos em "prédios muito velhos, feitos de madeira e tijolos". "Vamos ver alguns tijolos caindo", disse ele. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUANova Yorkfuracão IreneBloomberg

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.