Premiê canadense cancela cerimônia em homenagem a Malala

Paquistanesa estava em Toronto, onde encontraria com o primeiro-ministro Stephen Harper, para receber o título de cidadã canadense

O Estado de S. Paulo

22 de outubro de 2014 | 17h13

(Atualizado às 17h30)

TORONTO - O primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, cancelou a cerimônia na qual a jovem paquistanesa Malala Yousafzai receberia hoje o título de cidadã honorária do Canadá, em razão dos ataques contra o Parlamento, em Ottawa.

Harper havia planejado assistir a um ato com Yousafzai em uma escola de Toronto e, em seguida, conceder a cidadania honorária a jovem ativista, que recebeu o Prêmio Nobel da Paz no dia 10.

O primeiro-ministro teve de deixar o local com ajuda das forças especiais da polícia canadense quando um homem armado entrou no Parlamento do Canadá.

Pouco antes, o homem matou um soldado que montava guarda do Monumento da Guerra, localizado a poucos metros do Parlamento e os policiais mataram o atirador. A policia investiga se outros dois homens teriam participado dos ataques. 

Diante do ocorrido em Ottawa, dois dias depois que um jovem matou outro soldado canadense nos arredores de Montreal, o Departamento da Defesa do Canadá ordenou que todas as bases militares do país sejam fechadas ao público. A polícia de Ottawa também ordenou que todas as suas delegacias sejam fechadas.

O Parlamento canadense se mantinha fechado, sem que ninguém entre ou saia do edifício, horas depois dos ataques.  / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
CanadáMalala

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.