Justin Tang/The Canadian Press via AP
Justin Tang/The Canadian Press via AP

Suspeito de atropelar pedestres em Toronto é acusado por 10 homicídios dolosos, determina juiz

Mais cedo, Justin Trudeau afirmou que o caso ‘não tem conexão com a segurança nacional’ e que ‘levará um tempo’ para entender as motivações do agressor

O Estado de S.Paulo

24 Abril 2018 | 10h29
Atualizado 24 Abril 2018 | 16h47

TORONTO, CANADÁ - O suspeito de atropelar um grupo de pedestres em Toronto foi acusado nesta terça-feira, 24, pelo assassinato de dez pessoas e 13 tentativas de homicídio, ordenou um juiz da cidade.

+ Policial que se recusou a atirar no suspeito do atropelamento no Canadá é elogiado

+ Suspeito de ataque no Canadá era estudante retraído, dizem ex-colegas de turma

Mais cedo, o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, descartou que caso se trate de um ato terrorista. O episódio deixou 10 mortos e 15 feridos. “A investigação continua, mas é claro que não há conexão com a segurança nacional”, afirmou o premiê durante uma coletiva de imprensa em Ottawa.

+ Atentado deixa 5 feridos em cidade canadense

+ FBI confirma que investiga ataque em Michigan como 'ato de terrorismo'

Ele disse ainda que “levará um tempo” para entender as motivações do suspeito Alek Minassian, de 25 anos. O jovem teria apontado um objeto para os policiais antes de ser preso. Segundo autoridades, ele pediu que os agentes o matassem.

Trudeau também ressaltou que o caso não alterou o nível de ameaça ou segurança do país para a reunião do G-7 que será realizada em Quebec em junho.

Na segunda-feira, a polícia confirmou que o ataque foi intencional, mas não revelou as causas e os motivos para o crime. / AP, EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.