Premiê chinês ignora Paris em visita à Europa

O primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, iniciou ontem uma turnê por cinco países da Europa, a primeira após a crise diplomática com a França que resultou, no início de dezembro, no cancelamento da Cúpula União Europeia-China. Ainda que a viagem represente uma reaproximação do bloco econômico, o premiê chinês não fará escala em Paris, mantendo frias as relações diplomáticas bilaterais.A anulação da Cúpula União Europeia-China, que se realizaria na cidade francesa de Lyon, ocorreu por causa da insatisfação do governo de Pequim com o presidente francês, Nicolas Sarkozy. Ele tinha um encontro marcado em Varsóvia, na Polônia, com o dalai-lama, líder político do Tibete, região autônoma da China que reivindica independência.A reunião entre Sarkozy e o dalai-lama foi o terceiro ato do governo francês que desagradou Pequim em 2008. Antes, um violento protesto pela independência do Tibete, nas ruas de Paris durante a passagem da tocha Olímpica, e a ameaça de boicote à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, feita por Sarkozy, haviam provocado atrito entre os dois países.O resultado foi a indiferença. Wen Jiabao partiu ontem de Pequim para a Suíça, onde participará do Fórum Econômico Mundial, em Davos. A seguir, o premiê visitará Alemanha, Espanha, Grã-Bretanha e Bélgica. Ele reforçará os contatos para a reunião de Cúpula do G-20, prevista para 3 de abril, em Londres, que deverá reformar os mecanismos de regulação do sistema financeiro internacional. Sarkozy, um dos líderes que mais defende a reforma, não será consultado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.