Jeffrey Phelps/AP
Jeffrey Phelps/AP

Premiê da Índia condena massacre em templo sikh dos EUA

Atentado ocorreu na região de Wisconsin e matou seis pessoas, além do atirador

Efe,

06 de agosto de 2012 | 08h10

NOVA DÉLHI - O primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, condenou nesta segunda-feira, 6, o atentado registrado ontem nos Estados Unidos contra um templo sikh que matou seis pessoas e o agressor. Três pessoas ficaram feridas.

Veja também:

linkTiroteio em templo religioso nos EUA deixa ao menos 7 mortos

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

"Que este ato violento e sem sentido seja dirigido contra um lugar de devoção religiosa é particularmente doloroso. Envio meus pêsames mais profundos às famílias", afirmou Singh, que pertence por sua vez à comunidade sikh da Índia.

O primeiro-ministro da Índia agradeceu ao presidente dos EUA, Barack Obama, que condenou os fatos e também mostrou o desejo que as autoridades americanas tomem medidas para que ataques similares não aconteçam no futuro. "A Índia se solidariza com todos os americanos amantes da paz, que condenaram a violência", concluiu o primeiro-ministro.

Confira mapa:

O massacre, cometido por um homem armado, ocorreu em um templo sikh de Oak Creek, na região de Wisconsin (centro-norte dos EUA). As autoridades averiguam os fatos seguindo uma hipótese de "terrorismo local".

Os sikhs têm na cidade indiana de Amritsar (norte do país) seu principal centro espiritual e representam em torno de 2% da população do país asiático, embora contem com comunidades de emigrantes significativas nos EUA e Canadá.

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.