Premiê da Itália: haverá intervenção na Lei Eleitoral

O primeiro-ministro da Itália, Enrico Letta, afirmou neste domingo que haverá uma intervenção imediata na Lei Eleitoral do país. "Uma Lei Eleitoral absurda criou a ingovernabilidade e vamos alterá-la para que isso não volte a acontecer", disse. Letta afirmou que o imposto sobre propriedades, criado pelo governo anterior, também será revisado.

AE, Agência Estado

05 de maio de 2013 | 17h52

Ele também afirmou que apresentará um plano para impulsionar a criação de empregos em um nível europeu. Falando a uma rede de televisão, Letta disse que o plano, que deve envolver todos os países da União Europeia (UE), foca isentar investimentos relacionados à criação de empregos dos cálculos orçamentários do bloco.

Letta disse que conversou com líderes da UE sobre a proposta em reuniões ocorridas na semana passada e que o plano será discutido em uma próxima reunião. O primeiro-ministro da Itália reiterou que o país manterá os compromissos fiscais, de acordo com o combinado com a UE. O país reduziu o déficit orçamentário para 3% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2012, nível máximo estipulado pelo bloco. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Enrico LettaItáliaLei Eleitoral

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.